“Io e Te” (Eu e Você), é o último filme de Bernardo Bertolucci, diretor italiano e autor de várias obras-primas. O primeiro encontro sobre o filme é neste sábado, 7 de novembro, e o segundo é na quarta, dia 11.

No sábado, nosso encontro é com o filme em si para conversarmos sobre os seus temas e impactos em nós. Na quarta, nós nos colocamos, através do filme, diante do próprio cinema para pensá-lo como linguagem artística.

Nossos encontros virtuais acontecem às quartas e aos sábados. Os filmes indicados são assistidos com antecedência e são temas de nossas conversas! Para participar e receber por email os links especiais e as infos de nossos encontros virtuais, cadastre-se:

Botao-QUERO-PARTICIPAR-300x173

Dúvidas? Entre em CONTATO conosco.


NOTA DOS CURADORES

Presença e solidão: angústia juvenil em busca de um sinal de amor.

 

Em cinquenta anos de carreira, Bernardo Bertolucci realizou obras-primas e, também, filmes modestos, que ocultam ambiguidades e sutilezas inquietantes. Atravessada pelas relações entre a História e o mito, ou, de outro ângulo, pelo marxismo e por Freud, a sua significativa filmografia é marcada pela dialética entre drama psicológico e narrativa política, marcada pelo conflituoso contraste entre intimismo e as imposições do mundo exterior.

“Io e Te”, de 2012, é o seu último filme, que aparece 10 anos depois do penúltimo, “Os Sonhadores”. Neste, um casal de irmãos, jovens estudantes, vive seu sonho libertário no interior de um apartamento, na companhia de um amigo estadunidense, enquanto maio de 68 incendeia as ruas, lá fora. Em “Io e Te”, um adolescente antissocial e radicalmente refratário em relação ao mundo lá fora, se esconde no porão de sua casa. Se os jovens estudantes de “Os Sonhadores” desejam mudar o mundo a partir de seus próprios desejos, e se desabrigam de seu confortável apartamento para aderir à energia social das ruas, Lorenzo, o adolescente de “Io e Te”, prefere se isolar da ‘comunidade’ para projetar-se a si mesmo até a última solidão.

Mas, inadvertidamente, Olívia, sua meia-irmã, aparece e o encontra ali no seu “bunker” (o porão de sua própria casa no qual ele se esconde dos próprios pais), interrompendo o seu isolamento que, para ele, era vivido como uma liberdade à margem do mundo. A intrusão de Olívia estabelece o encontro em sua verdadeira natureza: a co-presença de dois seres que, se comunicando, se revelam um ao outro como existentes.

Em o “O Último Tango em Paris” ou em “La Luna”, a atmosfera freudiana ou mítica conduz a dança com o erotismo, inclusive incestuoso, uma recorrência em Bertolucci. O belíssimo “O Céu Que Nos Protege”, ou o épico “1900” e seus pares budistas “O Último Imperador” e “O Pequeno Buda”, dialogam com a tendência histórico-política mais evidente de “O Conformista” e “Antes da Revolução”. Enfim, em “Os Sonhadores”, todos esses elementos retornam sob a representação de uma intensa energia cultural em tensão com os desejos.

Já o último filme de Betolucci, “Io e Te”, reconduz toda essa energia cultural – mítica e histórica, freudiana e política – para o interior da desesperada angústia juvenil, traduzida na solidão de Lorenzo que lhe foi roubada por Olivia, intrusão que os obriga mutuamente ao destino inescapável do humano: a relação. Talvez por isso, Lorenzo e Olivia dançam ao som de uma versão italiana de “Space Oddity”, a bela canção de Bowie. A distância é espacial (sideral), mas a odisseia é interior e se esforça na busca de contato com o outro para transmitir – e receber – algum sinal de companhia ou de amor.

Por Fabricio e Mel, cineastas e curadores do Cinematógrafo.

[Filme disponível na Globo Play].

cropped-cinematocc81grafo-virtual-geral.jpeg

ENCONTROS VIRTUAIS

Os Encontros Virtuais Cinematógrafo e Saladearte Daten acontecem nas tardes de sábado e nas noites de quarta desde o início da quarentena, sempre com um filme diferente sugerido pelos curadores do Cinematógrafo, os cineastas Camele Queiroz e Fabricio Ramos, e que pode ser visto online, em casa, a qualquer hora antes do encontro. As conversas acontecem via Google Meet e são participativas. A ação é gratuita, aberta e não tem fins comerciais.

Acompanhem o Instagram e Facebook do Cinematógrafo para ficar por dentro de nossa programação de Encontros Virtuais, que acontecerão durante todo o período em que as salas de cinema precisarem ficar fechadas por conta do distanciamento social necessário para conter a disseminação do coronavírus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s