“Tartarugas Podem Voar”, do diretor curdo-iraniano Bahman Ghobadi, é o tema de nosso 98º Encontro Virtual Cinematógrafo e Saladearte, que acontece neste sábado (28/8), às 16h, via Google Meet.

Participe! Inscreva seu email para receber os links especiais, os acessos às salas virtuais e participar das conversas! OS EMAILS são entregues toda quarta-feira.

Nossos encontros virtuais são abertos e gratuitos. Em 2021, eles acontecem sempre aos sábados. Os filmes indicados são assistidos com antecedência e são temas de nossas conversas! Para participar e receber por email os links especiais e as infos de nossos encontros virtuais, cadastre-se! OS EMAILS são entregues toda quarta-feira:

Dúvidas? Entre em CONTATO conosco.

📒 NOTA DOS CURADORES

Retornamos ao diretor curdo-iranano Bahman Ghobadi, o mesmo de “Tempo de Embebedar Cavalos” (2000), que foi assunto de nosso 74º Encontro.

“Tartarugas Podem Voar”, de 2004, se passa no Curdistão iraquiano, na região fronteiriça do Iraque com a Turquia e o Irã, poucas semanas antes da invasão dos EUA ao Iraque de Saddam Hussein. Uma vez mais, Ghobadi enfatiza o drama do impacto das guerras na vida das crianças, forçadas a sobreviverem enfrentando situações extremas.

Num campo de refugiados curdos, a iminência da guerra desperta o interesse de todos no campo pelo noticiário da TV, cujo acesso é difícil dada a precariedade geral do lugar. Satélite, um menino que fala algumas palavras de inglês e sobrevive nas franjas de uma economia dos destroços da guerra (inclusive desativando minas terrestres), ganha importância, pois só ele pode traduzir as notícias.

Na aridez do campo, Satélite lidera um grupo de crianças precocemente expostas e lançadas à violência causada pelas guerras. O horizonte de desesperança contrasta com a atividade das crianças, cuja inocência despedaçada diante da indiferença do mundo reflete também um lirismo que afirma a vida, apesar de tudo.

Assim como “Tempo de Embebedar Cavalos”, estamos diante de um duro drama neorrealista contemporâneo, o cenário desolado de uma das regiões mais conflagradas do mundo abriga também sorrisos e esperanças de crianças em luta pela vida, em meio a conflitos locais, minas no chão, drástica escassez material e a frágil relação com um mundo lá fora cujos reflexos só chegam ali na forma da guerra.

Por Camele Queiroz e Fabricio Ramos, cineastas e curadores


📌 nossos encontros são abertos e gratuitos.

ARTICIPE!

Assista ao filme até sábado (28/ago) e participe do nosso 98º Encontro Virtual Cinematógrafo e Saladearte. Os curadores Mel e Fabricio vão introduzir a conversa e depois abrir à participação do público. Venha compartilhar suas impressões conosco.

Inscreva seu email para receber os e-mails de nossos encontros, com links e infos. Os e-mails são entregues nas quartas-feiras e os encontros acontecem sempre nas tardes de sábado. A participação é gratuita, aberta a contribuições voluntárias.

Dúvidas? Entre em CONTATO conosco.

ENCONTROS VIRTUAIS

Encontros Virtuais, presenças reais!

Os Encontros Virtuais Cinematógrafo e Saladearte vêm acontecendo desde o início da pandemia, sempre com um filme diferente sugerido pelos curadores do Cinematógrafo, os cineastas Camele Queiroz e Fabricio Ramos, e que pode ser visto online, em casa, a qualquer hora antes do encontro. As conversas acontecem via Google Meet e são participativas. A ação é gratuita, aberta e não tem fins comerciais.

Acompanhem o Instagram e Facebook do Cinematógrafo para ficar por dentro de nossa programação de Encontros Virtuais, que acontecerão durante todo o período em que as salas de cinema precisarem ficar fechadas por conta do distanciamento social necessário para conter a disseminação do coronavírus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s